4 tipos raros de anemia: sintomas, causas e tratamentos

Compartilhe

Pense nos seus glóbulos vermelhos como o sistema de transporte de oxigênio para todos os órgãos do corpo. Quando você tem anemia, seu organismo não produz células vermelhas suficientes ou elas não funcionam de maneira adequada. Resultando em fraqueza, cansaço e falta de ar.

Essa doença surge de inúmeras formas, mas a anemia por deficiência de ferro é a mais comum. No entanto, outros tipos de anemia afetam a menor parte das pessoas. São essas que mencionaremos neste post. Continue acompanhando e entenda seus sintomas e como podem ser tratadas!

4 tipos raros de anemia

1. Anemia aplásica

Quando você tem anemia aplásica, as células-tronco da medula óssea são danificadas e não conseguem criar células sanguíneas suficientes. Esse tipo de anemia pode ser hereditário ou adquirido. A anemia aplásica adquirida é a mais comum, podendo ou não ser temporária e causada por doenças autoimunes, produtos químicos, tratamentos de radioterapia e quimioterapia, e infecções, como hepatite ou HIV.

Seus sintomas são desde falta de ar e tonturas a dores de cabeça, pele pálida, dor no peito, frequência cardíaca acelerada, além das extremidades do corpo frias, como os pés e as mãos. O tratamento da anemia aplásica ocorre por meio de transfusão de sangue ou transplante de células-tronco.

2. Anemia Sideroblástica

Na anemia sideroblástica, seu corpo não é capaz de usar o ferro para produzir hemoglobina, a proteína que transporta oxigênio no sangue. Com isso, o acúmulo de ferro causa a formação de glóbulos vermelhos anormais, chamados de sideroblastos.

Existem dois tipos de anemia sideroblástica: hereditária e adquirida, devido ao uso de drogas ou contato constante com certos produtos químicos. Ambas incluem sintomas, como dor no peito, taquicardia, dores de cabeça, problemas respiratórios, fraqueza e fadiga.

O tratamento depende da causa. Por exemplo, se você adquiriu a anemia sideroblástica, deve evitar o produto químico em questão ou o medicamento que a causou. Outros meios de tratá-la é com terapia de vitamina B6 e transplantes de medula óssea ou células-tronco.

3. Síndromes Mielodisplásicas

A síndrome mielodisplásica pode ocorrer em resposta a tratamentos contra o câncer ou exposição a substâncias químicas. Ela danifica a medula óssea, fazendo com que não produza glóbulos vermelhos saudáveis suficientes.

Algumas pessoas não demonstram sintomas desta síndrome, enquanto outras apresentam hematomas, sangramentos, infecções, febre, falta de ar, fadiga e perda de peso. Dependendo da condição, o tratamento pode ser feito com alfaepoetina, quimioterapia e transplantes de medula óssea ou células-tronco.

anemia 2

4. Anemia hemolítica autoimune

Esse tipo de anemia ocorre quando o seu sistema imunológico ataca e destrói os glóbulos vermelhos mais rápido do que produz novas células. Alguns medicamentos também são o que causa anemia hemolítica autoimune.

Seus sintomas são fadiga, pele pálida, taquicardia, dificuldade para respirar, dor nas costas e pele amarelada. O tratamento pode interromper os danos causados às células sanguíneas. Nesse caso, o médico pode indicar medicamentos que acalmam o sistema imunológico, o que pode ajudar na anemia.

Independentemente do tipo de anemia, quando os sintomas se agravam, é possível que o médico recomende um transplante. Muitas vezes, um transplante de medula óssea pode curar uma anemia completamente.

Já conhecia algum desses tipos de anemia? Conhece alguém próximo que já passou por esses problemas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais e faça com que outras pessoas entendam que a anemia não acontece apenas pela falta de ferro no sangue!

 

Entusiasta da alimentação saudavel, adoro ler e escrever. Atuo como redator e compartilho meus conhecimentos com o Receita Fit

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *