Alimentos que melhoram a memória

Compartilhe

O nosso corpo é biologia pura. Isso significa, por exemplo, que tudo o que ingerimos pode impactar positivamente ou negativamente na performance do nosso organismo. 

Sendo assim, se você quer ter bom desempenho estudando, é muito importante que você adote na sua dieta alimentos que melhoram a memória, pois eles podem representar o grande diferencial na sua vida acadêmica ou em seus estudos para concurso público

Nesse contexto, para te ajudar com essa tarefa de ingerir bons nutrientes, abaixo, separamos algumas dicas sobre quais são os alimentos que melhoram a memória, onde encontrar eles e como eles funcionam ajudando o nosso corpo a ser o melhor sempre. Ficou curioso(a)? Então confira a seguir todas as dicas.

Alimentos que melhoram a memória

alimentos que melhoram a memoria

Os neurocientistas já sabem que existem alguns nutrientes que impactam diretamente na memória humana quando ingeridos com frequência. Nesse contexto, abaixo, vamos te explicar como alguns desses nutrientes funcionam no seu cérebro:

  • Ômega 3: esse é provavelmente o nutriente mais conhecido no que diz respeito a ajudar na memória, pois sua ingestão tornou-se extremamente popular. O ômega 3 ajuda principalmente nas sinapses dos neurotransmissores, fazendo com que essas conexões fiquem mais forte, o que auxilia a memória (ou seja, ele faz com que a informação no seu cérebro caminhe por um via menos acidentada);

 

  • Vitaminas B: o famoso complexo B tem diversas funções no organismo humano e uma delas também é ajudar na sinapse, portanto, sua ingestão é recomendada (lembre-se de que vitaminas do complexo B são solúveis, ou seja, eliminadas junto à urina, o que faz com que a ingestão desse tipo de nutriente precise ser diária);

 

  • Ferro: outro nutriente que impacta decisivamente na memória humana é o ferro. Isso porque esse elemento atua no transporte de oxigênio no sangue humano. Ou seja, a ausência dele faz com que o sangue que chega no cérebro não seja tão oxigenado, o que diminui os processos cognitivos. Nesse contexto, é muito importante que você consuma ferro, no entanto, atenção, pois o excesso dele pode gerar problemas na saúde;

 

  • Nitratos: outro nutriente que pode ajudar na memória são os nitratos, pois ele aumenta a capacidade de que você consiga se concentrar em atividades;
  • Carboidratos: considerados por muitos como vilão, os carboidratos, na verdade, são a principal forma de combustível do nosso organismo. Sendo assim, a gente precisa ingerir diariamente quantidade o suficiente desse nutriente, pois o cérebro humano em específico consome grandes quantidades de energia para armazenar uma memória;

 

  • Cafeína: se consumida na quantidade certa, a cafeína tem um importante papel na memória humana por ajudar na gestão de energia e no alívio do estresse.

Quais alimentos consumir?

Agora que você já sabe quais são os grupos nutricionais que podem te ajudar na memória, abaixo, listamos alguns alimentos ricos neles:

 

  • Salmão: de todos os frutos-do-mar ricos em ômega 3, o salmão é um dos mais conhecidos e mais saudáveis;
  • Leite: rico tanto em aminoácidos como o triptofano que auxiliam no poder cognitivo humano, além de ser uma importante fonte de carboidrato;
  • Ovo: rico em proteína, o ovo também é rico na vitamina B12, importantíssima para o cérebro humano;
  • Nozes: além de ser outra fonte muito importante de ômega 3, elas também são ricas em vitamina E, o que faz com que esse alimento seja muito importante para diminuir as chances de esquecimento;
  • Tomate: a fruta tomate é rica em nutrientes que funcionam como antioxidantes no nosso organismo, ou seja, atuam indiretamente para diminuir as chances de esquecimento;
  • Brócolis: rico em ácido fólico (assim como os seus irmãos espinafre, rúcula e couve), esse alimento ajuda a diminuir o esquecimento;
  • Suco de uva: outro alimento que pode contribuir é o suco de uva, que é rico em proteínas que auxiliam o cérebro a fazer novas conexões;
  • Azeite de oliva: o azeite de oliva também ajuda a diminuir o esquecimento tendo um importante papel em estudos sobre o Alzheimer;

Dicas para seguir sua dieta saudável

  • Procure um profissional da área da nutrição;
  • Comece aos poucos;
  • Comece pelos alimentos que você gosta;
  • Passe a evitar certos alimentos muito processados;
  • Diminua quantidades (por exemplo, ao invés de comer duas coxinhas, coma apenas uma);

O impacto da alimentação nos estudos

No dia a dia, o nosso corpo precisa de quantidades específicas de diferentes nutrientes. 

 

No entanto, na vida agitada que levamos, nem sempre é possível comer certinho sempre, o que pode ocasionar diversos sintomas negativos na nossa saúde, por exemplo, insônia (ou sono excessivo), sensação de cansaço (mesmo quando dormimos muito), ansiedade, falta de concentração nas atividades e muitas outras coisas. 

 

Aliado a isso com a falta de exercícios físicos, encontramos uma pessoa que não consegue extrair nem 1% do que o próprio corpo é capaz de fazer.

 

Isso acontece porque o nosso corpo foi feito para se alimentar bem (com coisas extraídas da natureza ou caçadas frescas, por exemplo) e para percorrer diariamente grandes distâncias em busca de comida. 

 

Nesse contexto, quando não fazemos esse tipo de coisa, o nosso organismo entra em uma situação de estresse a qual ele não está acostumado a estar e isso faz com que a gente não consiga fazer atividades simples sem demandar grande quantidade de esforço.

 

No que diz respeito aos estudos, essa situação de estresse pode ser ainda pior. Isso porque, com o tanto de distração que temos atualmente (jogos e redes sociais, por exemplo), conseguir se concentrar nem sempre é uma tarefa fácil e fica ainda pior quando estamos cansados ou estressados. 

 

Além disso, alimentos com gordura ruim demandam maior quantidade de energia para serem quebrados, o que pode fazer com que você desenvolva sonolência.

Sendo assim, é muito importante adotar uma alimentação saudável para ter um bom rendimento nos estudos, principalmente se estiver estudando matemática (ou outra disciplina que exige concentração). 

Além disso, desenvolver uma boa rotina de exercícios físicos regularmente, nem que seja só 30 minutinhos por dia, também pode ser essencial para o seu bom rendimento acadêmico, pois esse tipo de atividade ajuda na oxigenação do cérebro, libera hormônios importantes para que você se sinta bem e ainda é capaz de desopilar a sua mente.

Bom, esperamos que tenham curtido as dicas pessoal

Já falamos em outro artigo sobre a famosa dieta da usp, sugiro que leia e aproveite!

Entusiasta da alimentação saudavel, adoro ler e escrever. Atuo como redator e compartilho meus conhecimentos com o Receita Fit

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.