As Primeiras Mamadas e Seus Desafios

Compartilhe

A amamentação não nega ser um ato lindo e único entre a mãe e seu bebê. Senti seu pequeno tão perto sendo alimentado por você, observar seu rostinho e mãozinhas curiosas te tocando com a maior ingenuidade e inocência é algo muito gratificante e indescritível, sem falar no vínculo enorme que nasce entre vocês por conta desse momento mágico e emocionante da vida de uma mãe.

E eu tenho certeza do quanto ficou ansiosa ao ver alguma mãe amamentando e saber que a poucas semanas será você quem estará amamentando um pequeno ser. Mas, infelizmente nem tudo que nós vimos é o que realmente parece.

Calma! Não estou querendo dizer que a amamentação é algo ruim, de maneira alguma, apenas queremos lembrar que esse período também tem seus desafios, podem ser um pouco complicados de se enfrentar, mas no fim tudo dá certo!

Quando devo saber a hora de amamentar meu filho?

mamadas noturnas

Essa pergunta é a primeira que surge na cabeça das mães, quando amamentar?

Bem, digamos que não existe uma regra para ser seguida referente a quantidade de mamadas que seu bebê poderá dar durante o dia. O que os médicos aconselham é sempre amamentar quando o bebê estiver pedindo leite, mesmo se o intervalo de uma mamada para a outra seja muito curso como de 25 a 30 minutos.

Esse fato ocorre muito nos recém-nascido e em bebês com um ou dois meses de vida. Como o leite é rico em nutrientes e vitaminas que o menino vai precisar para se desenvolver, não tem problema nenhum amamentar sempre quando ouvir aquele resmunguinho ou choro que não cessa, pode a manter seu pequeno tranquilamente até ele se sentir satisfeito.

Como vocês ainda estão em fase de adaptação um com o outro é comum o bebê quase sempre dar um chorinho pedindo para mamar, depois do primeiro mês para frente que já existe uma rotina e um conhecimento maior um com o outro, você vai conseguir distinguir os choros de fome com mais facilidade e você vai conseguir controlar quantas vezes seu pequeno precisará mamar no dia.

 

É normal sentir dor quando meu filho vai mamar?

 

Essa dúvida muitas mamães levam consigo durante os primeiros momentos de amamentação.

A dor sentida nas primeiras mamadas do seu pequeno é provocada pela pressão que o bebê causa no bico ao estimular o leite a descer, e como as mamães estão muito sensíveis por conta da mudança dos hormônios é muito comum acabar ficando um pouco dolorida e até avermelhada ou rachar dependendo da forma que seu pequeno costuma pegar na sua mama.

Por isso, tente sempre mantê-lo em uma posição o mais confortável evitando que ele mame puxando o bico para baixo, pois isso pode causar dificuldades para a saída do leite e lesões piores no bico do seu seio. E se caso a dor for muito forte, procure orientações médicas para tomar algum medicamento ou passar alguma pomada para aliviar o desconforto.

 

O que é o colostro? Ele é prejudicial para meu filho?

 

Pode ficar tranquila, pois o colostro é nada mais nada menos que o primeiro leite que o bebê irá tomar produzido por você, e ele é totalmente beneficente para o pequeno.

Sua coloração é mais forte, possuindo uma leve tonalidade amarelada, ele é mais denso que o leite que você vai produzir com constância para amamentar seu pequeno. O colostro é como se fosse a primeira “vacina” do seu pequeno, pois ele possui maior número de nutrientes e vitaminas que os próximos, dando maior imunidade para seu pequeno.

 

É normal o leite empedrar?

 

Todas as mamães que amamentam podem ter um momento que o leite venha empedrar nos ductos dos seios. Na realidade, o leite não exatamente empedra, ele começa a ficar mais espesso e difícil de descer até o bico, o que acaba obstruindo os ductos e se acumulando nas mamas.

Por mais que seja comum ocorrer, o leite empedrado não pode permanecer por muito tempo na mama, podendo causar sérias complicações, inchaços e até febre na parte do busto pelo acúmulo de leite.

Para poder desobstruir os ductos de leite é dissolver o leite já empedrado, compressas com água quente e massagens são opções muito valiosas para ativar a circulação sanguínea e ajudar a dissolver esse leite parado, dando alívio e mais leveza nas mamas.

Se caso você perceber que seu leite está com muita produção e o bebê não está dando conta de mamar o suficiente para parar de vazar, você pode utilizar bombinhas para retirar o leite que já está na mama e guardar dentro de uma mamadeira para dar ao seu menino mais tarde. Só não vai esquecer o leite por muito tempo na mamadeira para não correr o risco dele estragar, ok!

 

O que fazer quando não tenho leite para amamentar?

 

Essas situações acabam deixando qualquer mãe preocupada e até frustrada por não poder ter aquele vínculo tão desejado entre mãe e filho no momento da amamentação, e isso ocorre se a mãe não está mantendo uma boa alimentação, ingerindo muito líquido, passando por algum período de tensão ou simplesmente por conta dos hormônios.

Para poder auxiliar na produção do leite, tente beber pelo menos 1,5 L por dia, bebidas com base de soja, leites e derivados também ajudam os ductos de leite a trabalharem melhor. Evite comer alimentos gordurosos ou que não possuem muito ferro ou cálcio, dê preferência a legumes, verduras e muita fruta por possuírem suco e muitas vitaminas que ao ajudar a facilitar a produção do leite.

Evite a qualquer custo passar por estresse ou raiva durante e após a gravidez, isso interfere muito na produção do seu leite e pode até correr o risco de secar completamente.

E sobre a questão hormonal, infelizmente nesses casos é necessário procurar uma ajuda médica por se tratar de algo possivelmente genético ou ter alguma interferência no seu organismo que impede que seu leite seja produzido corretamente.

Por isso, novamente aconselhamos que você tenha uma gravidez tranquila e um pós-parto também tranquilo. Você estará passando por momentos muito delicados e que precisam d e muita paciência de cuidados. Então, tente sempre fazer exercícios de respiração, manter o controle e elevar as energias positivas!

Entusiasta da alimentação saudavel, adoro ler e escrever. Atuo como redator e compartilho meus conhecimentos com o Receita Fit

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *